• Alex Fraga

Crítica – Uma noite impecável com os “Lennons” de Campo Grande!


A ideia do psicólogo Rômulo Monteiro em realizar uma live, como Tributo a John Lennon foi abraçada por vários artistas do Mato Grosso do Sul, que na noite de ontem (8) puderam demonstrar a importância desse músico para a vida deles e principalmente para as pessoas em todo o mundo. A live “Tributo a John Lennon” que teve a contribuição de Odon Nacasato através do Estúdio Vozes mostrou que a quando existe união, com certeza, as coisas fluem naturalmente, sem esperar os tais “projetos” governamentais com seus editais complicados (agora até que está melhorando a burocracia). Mas foi uma noite mais que especial para aqueles que assistiram como principalmente a todos que cantaram canções especificamente escolhidas por eles. Em uma poltrona que lembrava os anos 70 com uma guitarra “sentada” ao lado, Rômulo Monteiro iniciou a vontade a live falando da sua chegada em Campo Grande em 1980 e sobre o dia 14 de dezembro onde os artistas do MS fizeram um show em homenagem a John Lennon que havia falecido no dia 8 daquele ano. Nesse show conheceu vários músicos. Disse também depois da importância dos Beatles e principalmente de Lennon para a música e às pessoas. Iniciou a apresentação em blocos: começou com a cantora Melissa Azevedo e o músico Daniel Aigner: “Here Comes The Sun”. Impecável. Surpreendente a evolução nestes anos todos de Melissa que atingiu o nível das principais cantoras do Mato Grosso do Sul. Bela voz, interpretação em um momento mágico. Veio Jerry Espíndola com seu violão cantando o grande sucesso “Come Toguether”. O cara continua perfeito com seu balanço diferenciado. Programado em seguida, Lenilde Ramos, com “Something”, mas infelizmente deu um problema o áudio (coisas da internet). Na segunda parte, Marcio De Camillo: “The Long And Winding Road”, uma versão acústica do jeito desse artista que merece ter mais atenção dos sul-mato-grossenses. Voz suave e transmitiu muita paz e harmonia. Ângelo Arruda chegou com “Woman” e surpreendeu. Ele que está agora apostando na música em sua carreira, não ficou atrás de outros grandes no Estado que há tempo estão na estrada. Bela apresentação solo. Assim com “Stand By Me”, chegou Carlos Colman com sua parceira Ana Paula. É complicado escrever sobre artistas que já são verdadeiras lendas na música sul-mato-grossense. Colman em seu estilo fez da música de Lennon, uma viagem a seu estilo folk. Impecáveis os dois na apresentação. Uma nova tentativa para colocar Lenilde Ramos, mas novamente não deu certo. Na terceira etapa, Odon Nacasato com “Blackbird”, surpreendente, principalmente pela afinação do artista em uma música extremamente difícil. Vieram Luciana Fisher e Renato Oliveira em “Sexy Sadie”. Luciana é uma artista completa e sinceramente, outra injustiçada no Estado por não ser valorizada como merece. Em qualquer outro lugar ela estava sendo reverenciada principalmente pelo potencial vocal que tem. Perfeita a intepretação ao lado do também surpreendente músico Renato Oliveira. Aí em seguida surge nada menos do que Antônio Porto: “You`Ve Got To Hide Your Love Away”. Esse é um artista que brilha sempre. Melodicamente fantástico deu a tonalidade “Porto” de ser na canção. Se Lennon estivesse vivo diria: Fodástico! Chegou a vez do mestre dos mestres: Geraldo Espíndola com “Jealous Guy”, versão em português e inglês. Mas, Geraldo sempre será uma marca registrada de um artista diferenciado e por isso ele é Geraldo Espíndola. Ou seja, um mito de nossa música. Em ritmo de samba canção como não poderia ser Juci Ibanez e Bibi do Cavaco fizeram “Let It Be”. Esplêndida! O vozeirão de Juci ao som do violão limpo e perfeito de Bibi - arrasaram. Gilson Espíndola, Márcia Xavier e Gabriel De Andrade chegaram com uma das mais belas músicas: “Hey Jude”. Não poderia dar outra coisa dos três, linda interpretação. Márcia Xavier deu um toque suave a mais e foi muito agradável ouvir essa versão em português. Gilson tem uma das mais lindas vozes do MS e o competente guitarrista Gabriel De Andrade é inigualável. No quinto bloco, a dupla Américo e Nando em clima natalino, tocou e cantou “X-Mas”. Dois músicos que dispensam elogios, pois são os melhores. Mas, o psicólogo Rômulo Monteiro resolveu mostrar seu lado cantor e foi de “Oh, Darling” e não deixou baixar o nível das apresentações. Celito e seu filho Pedro Espíndola em mais um momento mágico e suave com “Oh, My Love” brilharam a noite. Celito sem dúvida é a voz mais especial do Centro-Oeste. Doçura e muito profissionalismo entre os dois. No último bloco, Maria Alice e João Pedro vieram com “If I Fell” - mãe e filho unidos. Ela que faz parte do primeiro time de cantoras da terra, brilhou em companhia de João Pedro fazendo backing vocal e percussão. E é óbvio que não poderia faltar o cara do blues do Mato Grosso do Sul, com sua guitarra e voz rasgada. Zé Pretim “mandou” muito em “Love Me Do” - do jeito que todos o conhecem e adoram. Finalizando o bloco, a banda Beatles Maníacos, liderada pela outra lenda Miguelito Tatton, que tem uma legião de fãs por essas bandas, assinou “Dont`I Let Me Down”. Perfeitos como sempre! Xandão Ourives afinadíssimo. Encerrando o tributo, com a música mais tocada por todos que lembram John Lennon, Antônio Cesar cantou: ”Imagine”. Outra linda interpretação. Valeu tudo e os artistas mais uma vez mostraram que vale a pena reunir e cantar coisas que mexem nossos corações!



136 views0 comments

© 2023 por O Artefato. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W