• Alex Fraga

Exposição – Marilena Grolli e Erika Pedraza a partir desta sexta na Galeria de Vidro

A partir desta sexta-feira (19), as artistas visuais Marilena Grolli e Erika Pedraza estarão expondo seus trabalhos na Galeria de Vidro da Plataforma Cultural em Campo Grande (MS), localizada na Explanada Ferroviária. Chamada de “Mulheres em Cena” será aberta às 19 horas e ficará até o dia 26 de março. É composta por trinta obras autorais feitas nas técnicas de grafite, acrílica e outras, sendo quinze obras de Marilena e outras quinze de Erika. Alguns dos quadros foram feitos exclusivamente para a exposição. A mostra tem parceria com a Nação Hip Hop Brasil MS e, no dia da inauguração, contará com rappers e MC’s promovendo apresentações musicais.


Marilena da Silva Grolli, nasceu em Cáceres – Mato Grosso, e é filha de Maria Coelho da Silva e Antonio Alves da Silva. Após o falecimento de seu pai no ano em 1975 mudou-se com a mãe e irmãos para Campo Grande, onde reside até hoje. É graduada em bacharel em Artes Visuais pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e pós-graduada (especialização) em Arte e Educação pelas Faculdades Unidas de Campo Grande. Além de cursos, oficinas na área de Artes Visuais, já realizou diversas exposições, tanto individuais quanto coletivas, nacional e internacionalmente, além de ser selecionada e premiada com sua produção artística, tanto no estado quanto em nível nacional. Atualmente é presidente da Nação Hip Hop Brasil MS, Galerista, gestora de Artes do Núcleo de Artes Visuais da Fundação de Cultura de Mato Grosso do sul, patrona da cadeira número 10 da Academia Feminina de Letras e Artes de MS, professora, artista, ceramista, grafiteira e integrante do grupo de artistas da Freeart Agency (São Paulo – SP). “Na exposição Mulheres em Cena apresento minha entrega pra você com algumas obras inéditas e novas buscas em meu processo criativo, exploro novas dimensões, técnicas mistas e como cada mostra é única, me entreguei a outras emoções e vibrações”.

Já Erika Pedraza nasceu em Campo Grande e se formou em Artes Visuais pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e há 10 anos seus trabalhos transbordam através dos muros da periferia, prédios centrais e exposições regionais, nacionais e até internacional. Mesclando entre mais diversas técnicas e estilos, dentre caricatura, pintura em tela e muralismo, em 2016 ao entrar no Coletivo De Mulheres Negras De MS – Raimunda L de Brito. A artista teve seu despertar de identidade e consciência, quando volta sua expressão para a militância e o protesto através da arte. A partir deste momento sua linha de pesquisa caminha para o empoderamento negro, para a identidade e responsabilidade social. Inicia-se uma fase de encontro com sua própria cultura. Suas obras recentes são as produções de valorização estética da mulher negra. A artista compreende a difícil realidade social enfrentada por essas mulheres. Racismo, machismo, desigualdade econômica, violências que silenciam as subjetividades e desvalorizam as mulheres negras. A intenção é resistir ao desprestígio promovido às produções artísticas negras, trazendo a valorização e reconhecimento da beleza negra através de suas obras. Em 2019 funda o Coletivo Enegrecer (tendo em sua composição, somente artistas negros), e com mais 12 artistas realiza atividades culturais, palestras e exposições na cidade de Campo Grande e interior, atuando como principal Coletivo Negro na cidade.

45 views0 comments

© 2023 por O Artefato. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W